You Are Here: Home » Cidadania & Saúde » A democracia é o governo do povo, pelo povo, para o povo

A democracia é o governo do povo, pelo povo, para o povo

protesto-povo“A democracia é o governo do povo, pelo povo, para o povo.” Essa conhecida e inteligente frase do ex-presidente dos EUA, Abraham Lincoln, parece estar ainda muito longe da realidade no mundo político, e o Brasil vive a eclosão de um acordar daqueles que podem efetivamente mudar os rumos de uma nação: o povo, o povo que trabalha que luta que sofre que sonha; O povo que carrega no peito o selo da democracia, a democracia legítima que os governantes protelam a cumprir e obedecer.

Vivemos uma semana de manifestações populares espalhadas por todo Território Nacional.  Até o presente nos mantivemos apenas ‘na escuta’, acompanhando a movimentação das manifestações como forma de refletir o que realmente se busca. Ao mesmo tempo tínhamos até aqui apenas a voz de um dos lados, pois a Presidente Dilma não havia se manifestado publicamente.

 Com o pronunciamento nessa sexta-feira (21/06/2013) nos sentimos em condições de falar sobre o assunto, afinal sabemos o que pensam os dois lados.

 A manifestação é extremamente justa, entendemos até tardia, porque em muitos outros momentos a “medida” do povo já transbordou sem que nada fosse feito.  As reivindicações são genéricas ( saúde, segurança, transporte, educação, combate a corrupção… )

 A Presidente Dilma, na nossa análise, se mostrou assustada e enfraquecida num pronunciamento onde deveria se impor como autoridade máxima, mas ao invés disso buscou justificativas vagas e lançou oficialmente um pacote de medidas que passam ao longe do anseio popular. Podemos dizer até, que tais medidas deveriam fazer parte do dia a dia do Governo Federal e não aparecer apenas como solução num momento de tensão geral.

 Temos certeza de que justiça e o fim do mar de lama e corrupção que assolam o Brasil de hoje são os principais objetivos da população, lembrando que os líderes de hoje são os mesmos revolucionários, que em outra época empunharam as mesmas bandeiras e que ao chegarem ao poder esqueceram as origens e se dobraram ao poder do enriquecimento fácil e ilícito.

 O momento é grave, decisivo e esperamos que não esmoreça antes que o Brasil tenha a cara do seu povo, cara de gente trabalhadora, que busca eternamente a justiça social, a paz e a tranquilidade para criar seus filhos.

Onde tudo isso vai chegar é difícil avaliar e o bom senso nos diz que todas as possibilidades devem ser consideradas, inclusive que as Forças Armadas estão aquarteladas aguardando o desenrolar dos fatos, que se não chegarem num desfecho rápido, com certeza agirão.

O pronunciamento da Presidenta Dilma deixou claro que o Poder Executivo está enfraquecido, o Congresso Nacional mais ainda e isto é ruim para a Nação brasileira, o desfecho disso tudo só Deus sabe!

“A real é a seguinte: não é com reza que você muda um país. A essa altura, milhões de pessoas já estão convencidas de que o único jeito de criar um Brasil novo é extirpar esse sistema corrupto pela raiz. E nunca, nunca houve um momento mais propício para isso. Nossos governantes tiraram sarro dos nossos direitos – e continuam roubando a gente até o último centavo. Políticos assim esperam o quê? Só podem esperar revoltas mesmo. Essa revolta precisava de uma válvula de escape. E acabou de encontrar. No final, aliás, quem vai decidir quem está certo é a história. E ela vai condenar justamente quem está no poder hoje – quem, diante de tudo o que está acontecendo no país, leva mais em conta o próprio ego que o bem da comunidade.”

O texto aí em cima não é meu. É do Hitler. São partes do livro Mein Kampf (Minha Luta), o livro/cartilha revolucionária que ele começou a escrever em 1923, enquanto estava preso por uma tentativa de golpe de estado. Só troquei “Alemanha nova” por “Brasil novo”. E deixei o texto em português do século 21, para não parecer alienígena.

Penso… Pode ser só um discurso coincidente ou então Hitler tinha algum tipo de poder mental para escrever pensando no nosso momento, mesmo muito após a sua morte.

A hora no Brasil é histórica. Fato. Mas nem todo mundo que está surfando nessa onda merece a sua atenção. É o caso de quem fala em fechar o Congresso, imolar a presidente, acabar com a democracia?  Porque de vez em quando a democracia acaba mesmo. E o que vem no lugar é invariavelmente pior.

No mais apoiamos integralmente o movimento, os protestos, de forma pacífica, excetuando a violência e o vandalismo contra o patrimônio público, porém temos que ter a consciência para saber que a cada vândalo que nasce o Governo Federal é “a mão que balança o berço”. Acredito que a verdadeira mudança tem que começar pela restauração dos fundamentos cristãos esquecidos; não é a violência, nem o vandalismo nas ruas que consertará uma nação. Jesus mudou a história da humanidade apenas com palavras e amor e nos ensinou o caminho para a construção de uma nação próspera e incorruptível… Se o povo é o governo e o governo nasce do povo donde será que está o problema?

 

Leia também:

O cidadão brasileiro só é cidadão no dia das eleições

A leitura das ruas

Print Friendly

Autor

Poeta, Filósofo, Político. Pós graduado em Administração Pública e Gestão Pública. Ex-Funcionário do BB, Ex-Vereador e atualmente Servidor Público. Gerente da Agência do Trabalhador [SINE] da SEJU/MTE do Governo do Estado do Paraná, na Cidade de Mandaguaçu.

Number of Entries : 222

Comente

© 2013-2017 Site hospedado por:

Copy Protected by Chetans WP-Copyprotect.
Ir ao Topo