You Are Here: Home » E-books » M ou N? Agatha Christie

M ou N? Agatha Christie

Normalmente, Agatha Christie escolhe focar em mistérios, sem se concentrar nos eventos sociais e políticos da época.

Consequentemente, seus personagens, às vezes, parecem viver num mundo meio vazio, sem nada acontecer a sua volta, senão o próprio crime relatado.

O que torna M ou N? Diferente é seu foco na 2ª Guerra Mundial e sobre o que aconteceu na Inglaterra durante o período. Tommy Beresford e Tuppence Cowley, velhos amigos, desde o fim da 1ª Guerra Mundial, montam uma agência de detetives e passam por aventuras, falsas mensagens, um fugitivo sem nome, e terrorismo internacional.

Tudo por causa de uma menina há muito tempo desaparecida, Jane Finn, e que conduz uma pasta com uma ameaça mortal aos Estados Unidos.

Tommy persegue um homem estranho e acaba raptado.  Tuppence, pensando que Tommy estava morto, começa a trabalhar como arrumadeira para uma mulher muito suspeita.

Depois de muita luta, Tommy escapa a tempo de achar a patroa de Tuppence, morta, assassinada.

Eles até encontram a tal menina, também trabalhando como empregada para a patroa de Tuppence, e descobrem que a pessoa em quem eles mais confiavam era uma mente criminosa por trás de terrorismo internacional.

Também no mistério, estão envolvidos Mr. Whittington, que contrata a dupla para procurar Jane Finn; Mr. Carter, um misterioso oficial do governo; Julius Hersheimmer, primo de Jane; e Albert, um jovem que vai continuar a acompanhar Tommy&Tuppence, como amigo.

No final, o governo britânico é salvo, Tommy&Tuppence descobrem que se amam, e a firma deles, Young Adventurers Ltd., é um sucesso.  Além disso, Tommy pede Tuppence em casamento.

Neste livro, podemos ver a complexidade do dia-a-dia da contraespionagem. É interessante, também, pensar-se que, apesar de Tommy e Tuppence não serem pessoas reais, haviam, na verdade, pessoas como eles – pessoas comuns com inteligência superior e que eram escolhidas para realizar missões de espionagem perigosas; e que conseguiam sucesso, exatamente porque eram tão comuns – não eram o que o inimigo esperavam dos espiões.

Print Friendly

Autor

Poeta, Filósofo, Político. Pós graduado em Administração Pública e Gestão Pública. Ex-Funcionário do BB, Ex-Vereador e atualmente Servidor Público. Gerente da Agência do Trabalhador [SINE] da SEJU/MTE do Governo do Estado do Paraná, na Cidade de Mandaguaçu.

Number of Entries : 222

Comentários (1)

Comente

© 2013-2017 Site hospedado por:

Copy Protected by Chetans WP-Copyprotect.
Ir ao Topo